Combate às fraudes metrológicas é tema de seminário em São Paulo

A Rede Metrológica do Estado de São Paulo (Remesp) promove nesta terça-feira (6) e quarta-feira (7) o Seminário de Metrologia Legal 2018. O intuito do evento, que tem a participação de diversos representantes dos segmentos de indústria, comércio e governo, é o de discutir novos métodos e tecnologias para combate às fraudes metrológicas que lesam a sociedade.

Na palestra de abertura, Humberto Siqueira Brandi, diretor de Metrologia Científica do Inmetro, abordou as novas definições das unidades do Sistema Internacional de Unidades (SI), a forma moderna do sistema métrico. Esse é o padrão de medição mais usado do mundo, tanto no comércio, quanto na ciência.

Durante o evento, o superintendente do IPEM-SP, Guaracy Fontes Monteiro Filho, anunciou a assinatura da portaria Portaria 174, iniciativa apoiada pela Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural). Essa nova portaria passa a exigir o recadastramento das empresas de manutenção para evitar a alteração das bombas medidoras dos postos de gasolina.

Já Raimundo Alves Rezende, ex-diretor de Metrologia Legal do Inmetro, falou sobre a metrologia no Brasil do ponto de vista da instituição, que é referência no assunto. De acordo com Rezende, a exatidão dos instrumentos de medição garante a credibilidade nos campos da economia, saúde, segurança e meio ambiente.

A mesa redonda sobre Metrologia Legal no Dia a Dia, com representantes do comércio e indústria, contou com a presença de Carlo Rodrigo Faccio, da Plural, que promove o Combustível Legal, uma iniciativa que visa conscientizar a sociedade sobre os perigos das fraudes, sonegação de impostos e outras irregularidades no setor de combustíveis.

Outros temas em destaque

Entre os temas de destaque nas mesas realizadas na terça-feira (6), estiveram: medição da produção de petróleo no Brasil e seus impactos; novos sistemas de certificação; e os desafios da regulamentação conjunta entre dois entes federados, no caso Inmetro e ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Na quarta-feira (7), último dia o evento, as mesas de debate continuam, abordando assuntos como as novas ações no controle de fraudes em bombas medidoras, entre outros temas.